Fonte: OpenWeather

    EDUCAÇÃO/PANDEMIA


    Vereador indica protocolo para volta às aulas nas escolas municipais

    Reizo Castelo Branco indicou entre outras coisas a diminuição de alunos por sala de aula e horários convencionais

    Indicação do parlamentar pede união da Semed com a Semsa para viabilizar o retorno das crianças e adolescentes | Foto: Divulgação

    Manaus - O vereador Reizo Castelo Branco, apresentou a Indicação 207/2020, nesta terça-feira (7) à Secretaria Municipal de Educação (Semed) para que ela, em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), promova o retorno dos estudantes da rede pública municipal da cidade de Manaus às aulas, após a pandemia, com todos os cuidados cabíveis. A indicação foi apresentada e aprovada durante a Sessão Plenária híbrida, da Câmara Municipal de Manaus (CMM)

    Em Manaus, desde o dia 17 de março, os estudantes estão em casa, sem frequentar as aulas presencialmente. Sabe-se que há muitos pais com medo de enviar seus filhos para a escola, mesmo com a queda no número de mortes causadas pelo novo coronavírus. As aulas, em breve, retornarão e, por isso, Reizo sugere que a Semed inclua uma série de cuidados e medidas no cotidiano das escolas.

    Entre as medidas estão: diminuir o número de alunos por sala de aula, podendo haver horários diferentes do convencional; a entrada e saída dos alunos podem ser planejadas de forma que não haja aglomeração, em horários diferentes, por exemplo; o horário da merenda pode ser feito, também, de forma alternada ou na própria sala de aula, respeitando, sempre, o distanciamento social; e as escolas devem instalar totem com álcool em gel para que os estudantes, professores e demais profissionais da escola possam utilizar.

    A lista de indicações segue com: um enfermeiro pode ficar na entrada da escola medindo a temperatura de todas as pessoas que adentrarem à escola; entregar informativo aos pais ou responsáveis sobre os cuidados que devem ser tomados em casa e na escola, pois é imprescindível a parceira escola-família na prevenção ao coronavírus.

    Outro fator preocupante é que muitos alunos não têm acesso à internet. Por essa razão, não obtiveram conhecimento do conteúdo das aulas on-line, e mesmo que a Semed tenha disponibilizado material impresso, a adesão foi mínima, segundo relato da professora Kátia Helena Schweickardt, durante a Sessão Plenária virtual da Câmara Municipal de Manaus, do dia 17 de junho de 2020. Diante disso o parlamentar fez uma série de outras solicitações a pasta de educação.

    Entre elas: que a Semed faça um levantamento da quantidade de alunos que conseguiu acompanhar o conteúdo pelas aulas on-line; que a pasta crie uma estratégia para repor o conteúdo, mesmo que as aulas sejam aos sábados; que os feriados não sejam imprensados pelo Poder Público para que não haja mais prejuízos à aprendizagem; e a elaboração de documento para os pais ou responsáveis com orientações sobre as datas em que cada ciclo escolar deve retornar às atividades.

    “A educação e a saúde dessas crianças são essenciais, por isso, solicito que a Semed, em parceria com a Semsa, providencie essas medidas em relação ao estudo e aos cuidados com o novo coronavírus, no retorno às aulas”, explica Reizo.

    Comentários