Fonte: OpenWeather

    COM A PALAVRA


    'Tenho conhecimento para contribuir com Manaus', diz Hissa Abrahão

    O ex-deputado federal Hissa Abrahão fala da possibilidade de ser candidato a prefeito de Manaus neste ano. Leia a entrevista completa ao EM TEMPO:

    Presidente estadual do PDT, Hissa Abrahão diz que o partido ainda vai decidir sobre a sua candidatura | Foto: Lucas Silva

    Manaus - Vereador de Manaus aos 29 anos, vice-prefeito da cidade, aos 33 anos, deputado federal aos 35 anos, e atualmente presidente estadual do PDT no Amazonas, aos 40, o economista Hissa Abrahão agora se prepara para confirmar o seu nome como candidato a prefeito de Manaus, nas concorridas eleições municipais deste ano.

    Mesmo baixo dos 2% - como registrado nas últimas pesquisas eleitorais lançadas no começo de julho -, Hissa que tem o aval do presidente nacional do PDT, Carlos Lupi, e do ex-ministro e presidenciável Ciro Gomes, busca forças na lembrança das eleições para senador em 2018, quando ele fechou em terceiro lugar, com mais de 282 mil votos.

    Hissa que protagonizou desentendimentos históricos na política local, como o que ocorreu com o prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, quando era vice-prefeito de 2013 para 2014 e depois com Amazonino Mendes, em 2018, quando forçou a saída do ex-governador do PDT, se diz hoje mais maduro, que os erros são uma escola, mas que não compactua com a mediocridade.

    Leia mais na entrevista exclusiva ao EM TEMPO:

    "

    Agradeço a imensa confiança em mim depositada, pelo presidente nacional do meu partido Carlos Lupi, pelo ex-ministro Ciro Gomes e de todos os membros do PDT. A indicação do meu nome se deve também ao fato da direção nacional perceber que tenho densidade eleitoral, fato ocorrido após obter, aproximadamente, 300 mil votos na eleição ao Senado "

    Hissa Abrahão, ex-deputado federal, sobre a pré-candidatura a prefeito de Manaus

    EM TEMPO - Já foi vereador, ex-vice-prefeito de Manaus, secretário de infraestrutura e deputado federal. Quem é hoje Hissa Abrahão?

    Hissa Abrahão - Um cidadão maduro, centrado, pé no chão e muito agradecido a Deus, por ter adquirido e acumulado, com menos de 40 anos de vida, uma bagagem de experiência política e de vida que a essa idade, poucos tem.

    ET - O ex-ministro e ex-governador do Ceará Ciro Gomes, da última vez que esteve em Manaus, ele anunciou o seu nome como pré-candidato a prefeito de Manaus. Já é uma decisão definitiva do PDT?

    Hissa Abrahão - Na nossa vida, de definitivo mesmo, só a morte. Dito isso, agradeço a imensa confiança em mim depositada, tanto por parte do presidente nacional do meu partido Carlos Lupi, pelo ex-ministro Ciro Gomes e de todos os membros do PDT. A indicação do meu nome se deve também ao fato da direção nacional do partido perceber que tenho densidade eleitoral, fato ocorrido após obter, aproximadamente, 300 mil votos na eleição ao Senado.

    Sendo assim, a vontade de servir a Manaus como seu gestor existe, mas também não é algo que me aliena. As decisões serão tomadas sempre tendo em vista o que é melhor para as pessoas da nossa cidade e verificando as atuais circunstâncias.

    Hissa tem o aval do presidente nacional do PDT, Carlos Lupi e do presidenciável Ciro Gomes
    Hissa tem o aval do presidente nacional do PDT, Carlos Lupi e do presidenciável Ciro Gomes | Foto: Lucas Silva

    ET - Em se consolidando a candidatura, diante de um cenário polarizado entre direita e extrema-direita, com uma esquerda aparentemente acuada, como o PDT vem para esse processo?

    Hissa Abrahão - Livre de interdições ideológicas, que muitas das vezes turvam o juízo crítico e confundem o real com um simulacro de realidade. Soluções fantasiosas calcadas em ideologia do ódio é o refúgio do discurso fácil que nega a realidade e não propõe nada. O PDT parte da análise da solução local, de resolver problemas do quotidiano com um projeto claro de desenvolvimento.

    "

    Pesquisa eleitoral é tão somente um retrato de determinado momento, mas as eleições são filme de longa duração. Uma candidatura ou não, será construída do jeito que sempre foi na minha vida pública "

    Hissa Abrahão, ex-deputado federal, sobre posição na corrida eleitoral

    ET - Ainda com nome abaixo dos 5% nas últimas pesquisas eleitorais registradas, o senhor acredita que há condições para construir a sua candidatura? Como?

    Hissa Abrahão - Pesquisa eleitoral é tão somente um retrato de determinado momento, mas as eleições são filme de longa duração. Uma candidatura ou não, será construída do jeito que sempre foi na minha vida pública: com verdade, projeto, trabalho e ouvindo a todos. Foi agindo dessa maneira que o povo confiou a mim vários mandatos. 

    ET - A esquerda em Manaus vem ensaiando um realinhamento desde o ano passado. Qual o rumo desse diálogo com o PCdoB, PSB, PMN, Psol e PT?

    Hissa Abrahão - O diálogo está aberto com todos que queiram a superação dos problemas da nossa cidade. Todo aquele que, sendo intransigente com a corrupção e dotado de boa fé e espírito público, pode ser aliado, só não vamos admitir distinção entre fala e prática.

    "

    As decisões serão tomadas sempre tendo em vista o que é melhor para o povo. Nada pode ser descartado. Se perceber que posso contribuir com outra chapa, não vejo problema algum "

    Hissa Abrahão, ex-deputado federal, sobre compor chama como candidato a vice-prefeito

    ET - Num cenário com quase 20 pré-candidatos a prefeito, na primeira eleição sem coligações proporcionais, o senhor vê como possibilidade de compor chapa como vice? Com quem?

    Hissa Abrahão - Nas eleições desse ano, o partido tem como prioridade o lançamento de candidatura própria, mas como dito interiormente, as decisões serão tomadas sempre tendo em vista o que é melhor para o povo. Nada pode ser descartado. Se perceber que posso contribuir com outra chapa, não vejo problema algum.

    ET - Depois da temporada ao lado do ex-governador Amazonino Mendes, dentro do PDT, que lições o senhor traz para os dias de hoje?

    Hissa Abrahão - Que o tempo passa e as pessoas ao invés de melhorar e evoluir, podem piorar muito, e que o poder pelo poder, quando não contrabalanceado pela abnegação à causa pública, torna-se medíocre.

    Pressionou para que Amazonino Mendes deixasse o PDT depois das eleições de 2018
    Pressionou para que Amazonino Mendes deixasse o PDT depois das eleições de 2018 | Foto: Lucas Silva

    ET - Se pudesse voltar no tempo, na época em que estava vice-prefeito de Manaus, o que faria ou deixaria de fazer? Por quê?

    Hissa Abrahão - Não há lamentações, apenas gratidão. Os erros são a escola do crescimento, sou de cumprir minha palavra sempre. Isso demora para que as possam entender e reconhecer, mas quando percebem é gratificante. Aonde eu vou, percebo que as pessoas já sabem disso.

    ET - Hoje, o que Hissa Abrahão tem a dar para Manaus como pré-candidato a prefeito da cidade?

    Hissa Abrahão - Meu conhecimento, experiência, projetos importantes para gerar melhoria de vida para inúmeras famílias de Manaus e, um vigor, para trabalhar que a juventude ainda me abençoa.

    ET - Quais os maiores desafios do próximo prefeito de Manaus e como vencê-los?

    Hissa Abrahão - Entre as dificuldades deixadas para a próxima gestão, estão as possíveis quedas na arrecadação e aumento dos gastos; o que dificulta sobremaneira a melhoria da educação com a implementação do ensino em tempo integral ou do sistema de saúde, por exemplo. Entendo que a utilização da tecnologia para ampliação da cobertura do programa médico da família, investimento na prevenção e no atendimento qualitativo da primeira assistência é fundamental. Na questão da segurança pública: a realização do concurso público para guardas municipais, cumprindo a lei, para que tenhamos o mínimo de 0,2% de guardas municipais para uma cidade do tamanho de Manaus, além da melhoria progressiva salarial dos agentes. Para tal feito, o recurso para essa proposta pode vir da diminuição dos contratos dos aluguéis superestimados que a prefeitura possui atualmente, de superverbas para agências de propaganda e do desperdício de custeio da máquina que acontece em vários órgãos, tornando a qualidade dos serviços oferecidos, extremamente depauperados. Para além disso, o saneamento básico da cidade é destaque na lista dos dez piores do país com, aproximadamente, 12,43% apenas da população da cidade beneficiada com o serviço, colocando a maioria em estado de vulnerabilidade sanitária e promovendo a poluição dos igarapés e rios locais. Outro problema histórico é o do sistema de transporte coletivo, verdadeira penúria para os manauaras. Proponho então a implementação de novos modelos de transporte sendo integrados aos já existentes, sendo o recurso, parceria público privado.

    ET - Em meio a certa calmaria nos indicadores da pandemia em Manaus, como o PDT vai se articular para realizar as suas convenções, em Manaus e no interior?

    Hissa Abrahão - Diante de um cenário de condições sanitárias incertas e não sendo viáveis as convenções no formato de costume, o PDT se prepara para promover as convenções, considerando as especificidades regionais e as possíveis limitações técnicas, a fim de garantir o suporte necessário para os registros e homologações de candidaturas.


    Comentários