Fonte: OpenWeather

    TSE


    Horário de votação nas eleições municipais é ampliado devido pandemia

    Urnas serão abertas mais cedo e ficarão aptas a receber votos das 7h às 17h, sempre no horário local

    Urnas ficarão aptas a receber votos das 7h às 17h
    Urnas ficarão aptas a receber votos das 7h às 17h | Foto: Divulgação

    Brasil - O Tribunal Superior Eleitoral (TSE) oficializou nesta sexta-feira (28) a ampliação em uma hora do horário de votação nas eleições municipais deste ano, cujo primeiro turno está marcado para 15 de novembro. Com isso, as urnas serão abertas mais cedo e ficarão aptas a receber votos das 7h às 17h, sempre no horário local.

    De acordo com o TSE, o horário de votação foi definido após consultas a estatísticos do Instituto de Matemática Pura e Aplicada (Impa), do Insper e da Universidade de São Paulo. 

    Outra medida anunciada pelo TSE foi reservar o horário das 7h às 10h preferencialmente para pessoas acima de 60 anos, seguindo orientação da consultoria sanitária prestada pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e pelos hospitais Sírio-Libanês e Albert Einstein. 

    A intenção de ampliar o horário de votação já havia sido antecipada pelo presidente do TSE, Luís Roberto Barroso, em entrevistas. "Estamos fazendo todo o possível para conciliar, na maior medida, a saúde pública da população com as demandas da democracia", disse o ministro nesta sexta-feira (28), em mensagem gravada.

    O ministro acrescentou ainda ter abandonado a ideia inicial de estender a votação para além das 17h após consultas aos presidentes dos Tribunais Regionais Eleitorais, "porque em muitas partes do Brasil, após essa hora, há dificuldades de transporte e problemas de violência", disse Barroso.

    Segundo ele, serão disponibilizados, em parceria com a iniciativa privada, 7,5 milhões de máscaras e 1,8 milhão de proteções faciais (face shields) aos mesários. Além disso, 1 milhão de litros de álcool gel devem ser distribuídos para que os eleitores limpem as mãos na entrada e na saída das seções eleitorais.

    Leia mais: 

    Bolsonaro não vai atuar nas eleições e frustra planos da direita no AM

    STJ determina afastamento do governador do Rio de Janeiro

    Comentários