Fonte: OpenWeather

    Mudanças


    Vereadores reeleitos podem enfrentar cobranças de eleitores exigentes

    A onda de mudanças atinge os poderes desde a última eleição municipal e ocorre, principalmente, pela facilidade de acesso à informação

    Eleitorado passará, cada vez mais, a cobrar a atuação parlamentares
    Eleitorado passará, cada vez mais, a cobrar a atuação parlamentares | Foto: Alexandre Sanches

    Manaus - A renovação de mais de 50% da Câmara Municipal de Manaus (CMM) no primeiro turno das eleições municipais deste ano, se mostrou como um reflexo da mudança de pensamento e atitude do eleitorado, que tem se tornado crítico em relação à atuação dos vereadores. Com a renovação e a cobrança cada vez maiores, a cobrança do eleitor surge como um alerta aos vereadores que conseguiram alcançar a reeleição mais uma vez neste pleito e acumulam anos de mandatos.

    A competência de atuação dos vereadores é limitada, cabendo aos parlamentares fiscalizar o trabalho da prefeitura do município e legislar, com a criação ou extinção de Projetos de Lei que atendam as necessidades e interesses da população. A pouca atribuição que lhes é garantida resultou, por muitos anos, em uma baixa atenção do eleitorado quanto ao cumprimento do trabalho feito por eles, principalmente no período entre uma eleição e outra. Porém desde o último pleito, a população se mostra cada vez mais exigente.

    A professora Alícia Tamer, 21, é uma das eleitoras que tem desenvolvido maior criticidade sobre o assunto, mesmo que seja algo ainda em desenvolvimento. Para a jovem, é importante que haja a reeducação política da população, para que só permaneça no poder os que realmente estiverem cumprindo um bom trabalho.

    "Eu tenho me preparado e me posicionado pra isso. Mas é difícil ser levada a sério. Lugar de mulher ainda não é na política. Vejo que culturalmente e sociologicamente a população se deixa levar pela ignorância ou mesmo pela ingenuidade das desgastadas promessas de vários caciques políticos. Dessa forma, eu acho, sim, que é extremamente importante que todos nos eduquemos enquanto seres políticos", explicou.

    Já o vendedor Daniel Oliveira, 32, afirmou que, nos últimos dois anos, passou a estudar, de forma online, sobre o trabalho dos vereadores, e também dos deputados e senadores. A influência partiu de seu filho mais novo e do diálogo desenvolvido entre eles. "Eu passei a ver vídeos sobre isso e comecei a acompanhar alguns [vereadores] que eu conhecia para saber o que eles fazem durante esse tempo. Aqueles que a gente nem sabe que estão lá já tem data marcada para sair, isso é certo. Eu, pelo menos, não voto em quem eu vejo que não está ativo".

    Busca pelo destaque

    Dos 41 vereadores que terminam mandato neste ano, apenas 18 conseguiram se reeleger, sendo eles: Joelson Silva (Patriota), Professora Jacqueline (Podemos), Rosivaldo Cordovil (PSDB), Raulzinho (PSDB), Jaildo Oliveira (PCdoB), Marcel Alexandre (Podemos), Marcelo Serafim (PSB), Rosinaldo Bual (PMN), Fransuá (PV), Professor Samuel (PL), Diego Afonso (PSL), Glória Carrate (PL), Mitoso (PTB), Sassá da Construção Civil (PT), Bessa (Solidariedade), Wallace Oliveira (PROS), Everton Assis (PSL), David Reis (Avante).

    Glória Carrate, que está no cargo desde 2001 e caminha para seu sexto mandato, afirmou que seguirá atuando da mesma forma que já trabalhava nos anos anteriores, sempre em contato direto com o povo. Seus principais requerimentos, neste ano, atendem a melhoria da infraestrutura em diversos bairros da cidade, além de ter proposto no mesmo período, 11 Projetos de Lei.

    "Ainda acredito no trabalho. Não pretendo mudar meu ritmo de trabalho nas comunidades. E muito importante a presença nas comunidades e bairros. Sou vereadora de bairro e tenho contato direto com povo. Vou iniciar meu sexto mandato, é uma vida de dedicação. Hoje o parlamentar precisa estar em contato com o povo", destacou.

    A fórmula da reeleição parece ser a mesma seguida pelo vereador Raulzinho, que destacou sua intenção em ampliar projetos sociais e não se manter apenas no gabinete, sem a oportunidade de ter contato com a população. O parlamentar afirmou que continuará com a mesma postura adotada nos últimos quatro anos.

    "Penso que dar continuação ao trabalho que venho desenvolvendo dentro dos bairros da cidade de Manaus é um fator que pode contribuir para que meu nome torne-se ainda mais conhecido. Pretendo ampliar também os projetos sociais, Trenzinho da Alegria, Pet Móvel Comunitário e os Jardins Ecológicos, que transforma lixeiras viciadas em jardins comunitários. Manterei a mesma postura que adotei nesses quatro anos", relatou. 

    Para o vereador Marcelo Serafim a Saúde será seu foco de atuação, como tem sido nos últimos anos. O parlamentar também declarou que seguirá sendo crítico em seu trabalho. "Minha atuação seguirá a mesma linha, continuarei propositivo, crítico e atuante especialmente na área da Saúde que é onde tenho a maior atuação. O resultado que eu colhi das urnas apontam para o seguimento do mesmo caminho".

    Mudanças e exigências

    De acordo com o cientista político Jack Serafim, a mudança da significância da política é algo que tem acontecido desde a última eleição, quando houve também uma renovação dos nomes da CMM. O eleitor, conforme explicou o especialista, é o principal agente para que essas mudanças aconteçam.

    "A gente vive um processo de mudança desde a última eleição. Esse processo de mudança está partindo exatamente do eleitor, que não tem mostrado mais muita simpatia por velhas fórmulas. Então, o eleitorado está buscando sim aquilo que vamos chamar de 'batida perfeita', está buscando melhorar, aprimorar, tanto o legislativo, quanto o executivo", relatou.

    O cientista político defendeu ainda que a facilidade do acesso à informação é um dos principais fatores que permitem com que o eleitorado tenha acesso ao trabalho que está sendo realizado pelos parlamentares. Além disso, Jack Serafim afirmou que a tendência é que os que não se mantenham no foco, não consigam alcançar uma futura reeleição.

    "O que a gente pode afirmar, de forma muito clara, é que com esse novo cenário das pessoas mais informadas, mais conectadas, elas tendem a ser sim bem mais exigentes e os políticos que não se adequarem a isso serão limados, como muitos têm sido durante esse processo. Entre acertos e erros o eleitorado está mais atento no sentido de realmente excluir quem não acertou", disse Jack Serafim.

    Um cenário aguardado, com expectativa, é a chegada dos novos nomes na Casa. A relação de troca de experiências e trabalho entre os vereadores novatos e os antigos, conforme explicou o cientista político, pode definir se realmente a mudança será apenas na teoria ou se também será visível à população.

    "Apesar de haver uma renovação maior, existem pessoas que foram eleitas esse ano que já foram vereadores, então já possuem uma experiência. Vai depender muito da atuação dos vereadores novos, que estão chegando, qual o ritmo que vão imprimir. Aí é necessário aguardar um pouco mais para saber se a velha escola vai, de uma certa forma, comandar os novos políticos ou se esses novos que vão dar esse novo ritmo para a CMM", finalizou o cientista político.

    Leia Mais:

    Sub-representação de PcDs segue sendo realidade na CMM

    Vereadores precisam trabalhar até o Natal para zerar pautas em Manaus

    Nomes famosos ficam de fora da reeleição na Câmara Municipal de Manaus

    Comentários