Fonte: OpenWeather

    Cancer de Mama


    Lei garante reconstrução da mama para vítimas de câncer

    Os procedimentos de simetria da mama e de reconstrução do complexo aréolo-mamilar passam a ser considerados partes integrantes da cirurgia plástica

    A norma entra em vigor em 180 dias
    A norma entra em vigor em 180 dias | Foto: Reprodução

    Foi publicada nesta quinta-feira (20) no Diário Oficial da União (DOU) a Lei nº 13.770, que garante cirurgia plástica reconstrutiva da mama em casos de mutilação decorrente de tratamento de câncer.

    De acordo com o texto, os procedimentos de simetria da mama e de reconstrução do complexo aréolo-mamilar passam a ser considerados partes integrantes da cirurgia plástica.

    A lei estabelece ainda que, quando existirem condições técnicas, a reconstrução da mama seja efetuada de forma imediata. Quando isso não for possível, a paciente será encaminhada para acompanhamento e terá garantida a realização da cirurgia logo após alcançar as condições clínicas exigidas.

    A norma entra em vigor em 180 dias.

    Câncer de mama

    De acordo com o Instituto Nacional do Câncer (Inca), o câncer de mama é uma doença causada pela multiplicação desordenada de células da mama. O processo gera células anormais que se multiplicam, formando um tumor.

    Há vários tipos de câncer de mama e a doença pode evoluir de diferentes formas. Alguns tipos têm desenvolvimento rápido, enquanto outros crescem mais lentamente. Esses comportamentos distintos se devem a característica próprias de cada tumor.

    O câncer de mama é o câncer mais comum entre mulheres no mundo, depois do de pele não melanoma, correspondendo a cerca de 25% dos casos novos a cada ano. No Brasil, esse percentual é de 29%.

    Para 2018, são esperados 59.700 novos casos de câncer de mama no país.

    Leia mais:

    Você sabe qual ritmo do seu coração? Especialista no AM explica

    Brasil deve registrar 6 mil novos casos de câncer de pênis em 2018

    Número de casos de câncer de próstata supera os de mama no AM

    Comentários