Fonte: OpenWeather

    Saúde


    Prolapso genital afeta 30% das mulheres após os 50 anos

    Envelhecimento, muitos partos, alterações hormonais e obesidade estão entre as causas do problema

    A prevalência estimada do problema é de mais de 20% em mulheres de 18 a 83 anos | Foto: Divulgação

    Conhecido popularmente como bexiga caída, o prolapso genital acontece quando os músculos e ligamentos do assoalho pélvico se tornam esticados e flácidos, deixando suas posições normais na pelve e descendo em direção à vagina ou região externa.

    Pode se manifestar como desconforto durante a relação sexual, dificuldade de urinar ou evacuar, sensação de pressão na pelve, dor lombar e até impressão de algo saindo pela vagina, o que muitas vezes pode afetar a autoestima e desencadear em problemas na parte do relacionamento sexual.

    Segundo a obstetra e ginecologista Dra. Maria Elisa Noriler, a prevalência estimada do problema é de mais de 20% em mulheres de 18 a 83 anos, chegando até 30% dos casos em mulheres entre 50 e 89 anos. Entre as principais causas estão o envelhecimento, pacientes que tiveram muitos partos, alterações hormonais, obesidade e problemas com colágeno (substância que auxilia na sustentação dos tecidos).

    Após o diagnóstico por meio de queixas e exames ginecológicos, o prolapso pode ser tratado com exercícios pélvicos, medicamentos a base de estrogênio ou cirurgia. Para evitar o surgimento do problema, a especialista dá alguns conselhos.

    “As mulheres devem ter cuidado com a preparação do períneo durante a gravidez para se ter um bom parto, controlar a obesidade, não pegar peso e realizar atividades para fortalecer a musculatura pélvica”, finaliza Maria Elisa.

    Leia mais:

    Vídeo: Páscoa solidária leva alegria para pacientes com câncer no AM

    Vídeo: Amazonas está em alerta para casos de síndromes respiratórias

    Amazonas não registra novos óbitos por H1N1, diz FVS


    Comentários