Fonte: OpenWeather

    Proteção


    Máscaras personalizadas protegem contra o coronavírus?

    O ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, recomendou à população o uso das máscaras personalizadas

    O uso das máscaras é recomendado para profissionais de saúde e para casos suspeitos ou confirmados de Covid-19 | Foto: Divulgação

    Manaus- O novo coronavírus (COVID-19), passou a ser considerado uma pandemia pela Organização Mundial da Saúde (OMS). Isso, no entanto, não representa nenhuma diferença em como a doença deverá ser combatida, seja pelos países ou pela população em geral.

    Apesar da mudança na denominação da doença, as máscaras de proteção não precisam (e nem devem) ser usadas por toda a população. Em casos específicos, porém, o uso é recomendado pelos especialistas.

    “A principal recomendação dos órgãos oficiais é o uso sobretudo pelos profissionais de saúde e pessoas com a confirmação ou suspeita de Covid-19. Existem vários tipos de máscaras disponíveis e, de acordo com o tipo de atividade e o grau de risco para a infecção pelo novo coronavírus,” explica Silvana de Lima e Silva, médica infectologista.

    A médica reforça que todas as medidas de prevenção, incluindo o uso de máscaras, são baseadas no conhecimento atual sobre a infecção pelo novo coronavírus e publicadas nos documentos regulamentados pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Estas podem ser alteradas conforme novas informações sobre o vírus forem sendo disponibilizadas.

    "As máscaras representam uma das medidas de prevenção para limitar a propagação de doenças respiratórias, incluindo o novo coronavírus. No entanto, somente o uso da máscara é insuficiente para fornecer o nível seguro de proteção e outras medidas igualmente relevantes devem ser adotadas, como a higiene das mãos com água e sabonete líquido ou preparação alcoólica com álcool 70%, antes e após a utilização das máscaras. 

    As máscaras cirúrgicas são descartáveis, ou seja: usou, descartou em local adequado. Já as máscaras  N95, FFP2, ou equivalentes, seguem as indicações e recomendações do fabricante. São de uso individual e devem ser usadas de forma  correta, acondicionadas em locais adequados. O prazo de validade e duração de uso vai depender das condições de armazenamento e principalmente de higiene.

    Uso de máscaras personalizadas 

    Circulam nas redes sociais diversas publicações sobre a produção e venda de máscaras personalizadas para a prevenção do novo coronavírus. Garrafas plásticas, tecido e até lenços umedecidos têm sido usados para a confecção. Entretanto, a eficácia das máscaras caseiras não é comprovada e pode, em alguns casos, aumentar as chances de contágio do vírus.

    Máscaras personalizadas de tecido está à venda no  Facebook
    Máscaras personalizadas de tecido está à venda no Facebook | Foto: Divulgação

    Quanto ao uso de máscaras de tecido ou de outros materiais caseiros, Silvana explica que não existem evidências científicas que comprovem o desempenho. Por isso, a profissional recomenda: "Estas, geralmente são as máscaras de tecido que estão totalmente contraindicadas na prevenção de infecções, principalmente pelo novo coronavírus."

    A Anvisa alerta: "Máscaras de tecido não são recomendadas, sob qualquer circunstância". Apesar da recomendação, o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, orientou, durante coletiva, que as pessoas usem máscaras confeccionadas em tecido, o que tem confundido as pessoas.

    Opções mais seguras

    Segundo a médica, há uma lista de respiradores com filtro de partículas, que podem proteger inclusive de agentes infecciosos, onde 95% é o nível mínimo de filtragem do ar para esses equipamentos. Confira a lista:

    As máscaras mais recomendadas são as cirúrgicas e N95
    As máscaras mais recomendadas são as cirúrgicas e N95 | Foto: Divulgação

     Máscaras N95, PFF2, PFF3, ou equivalente (maior eficiência de filtragem de partículas)

    Indicada para os profissionais de saúde que irão realizar procedimentos geradores de aerossóis, como por exemplo, intubação ou aspiração traqueal, ventilação mecânica (respiradores mecânicos), ressuscitação cardiopulmonar, ventilação manual antes da intubação, coletas de amostras nasais ou traqueais.

    Máscaras cirúrgicas (não de tecido)

    Indicadas para pessoas com síndrome gripal, casos suspeitos ou confirmados de COVID-19 e seus acompanhantes. Indicadas também para profissionais de saúde de apoio. Ela poderá ser utilizada quando o indivíduo, que estiver com a saúde comprometida, precisar se deslocar e se expor a locais com maior número de pessoas.  

    Depois do tempo recomendado para cada tipo de máscara, estas perdem a barreira de proteção e a pessoa estará exposta a infecções.

    Comentários