Fonte: OpenWeather

    Doenças mentais


    Alucinação e delírio: Covid-19 pode causar sequelas mentais?

    Cientistas afirmam que o coronavirus pode provocar doenças mentais como delirium

    A médica psiquiatra Valéria Cerqueira explica que delírio é um pensamento obsessivo que não condiz com a realidade | Foto: Reprodução

    Manaus - A Covid-19, doença causada pelo coronavirus, é capaz de deixar diversas sequelas nos pacientes contaminados. Um estudo feito por cientistas da Universidade College of London (UCL), em Londres, indica que a doença também pode deixar sequelas neurológicas e neuropsíquicas, além das físicas, nos casos de pacientes que tiveram que se internar em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI).

    A pesquisa analisou 43 pacientes, 29 definitivamente estavam infectados, oito provavelmente estavam infectados e seis eram casos possíveis. Destes, surgiram cinco categorias com diferentes casos e sintomas. Em um deles, foram identificados 10 pacientes que adquiriram encefalomielite com sintomas de delirium e psicose, mas sem outras anormalidades neurológicas detectadas na Ressonância Magnética e em nove deles a recuperação foi feita apenas com cuidados médicos básicos.

    Foi estudado o caso de uma senhora que estava contaminada pelo vírus, não tinha histórico psiquiátrico, e chegou ao hospital apresentando sintomas recorrentes como febre, dores musculares, tosse e falta de ar. Usou pouco oxigênio e em três dias foi liberada do hospital. No dia seguinte, seu esposo voltou dizendo que ela estava com comportamento estranho e muito agressiva. Foi avaliado que ela havia desenvolvido alucinações auditivas contínuas, delírios persecutórios e percepções ilusórias complexas. Depois de três semanas em tratamento, teve alta. 

    A médica psiquiatra Valéria Cerqueira explica que delírio é um pensamento obsessivo que não condiz com a realidade. O mais comum, chamado de delírio persecutório, faz com que o paciente condicionado acredite que está sendo perseguido, observado. A alucinação é uma alteração do senso percepção, integração dos cinco sentidos, onde a pessoa pode ouvir vozes, por exemplo. Em quadros de delirium as alucinações causam percepções visuais, a pessoa vê algo que só ela vê, bichos andando em seu corpo que não estão lá.

    De acordo com o estudo, foi detectada um crescimento de pacientes com encefalomielite aguda disseminada, uma doença rara do Sistema Nervoso Central (SNC) que pode ser provocada por uma infecção viral. Os sintomas da doença são cefaleia, náuseas, vômitos e, em casos mais graves, convulsões.

    Cientistas responsáveis pelo estudo da UCL afirmam não ter encontrado fragmentos do vírus no fluido presente no cérebro, o que sugere que o vírus não ataca diretamente o órgão e que as sequelas mentais podem ser causadas como uma resposta ao sistema imunológico do paciente.

    A psiquiatra Laísa Duarte explica o que é a condição de psicose, ocasionada pelo vírus. “Delírio e alucinação são sintomas que chamamos de psicose e o isolamento não é desencadeante deles. Existe um quadro que a gente chama de delirium que acontece quando a pessoa tem um problema orgânico que cursa com alucinações, delírios, desorientação, e isso sim pode acontecer pela contaminação do coronavirus. Não é um quadro comum, normalmente a pessoa tem alguma pré-disposição, com alguma sensibilidade neuronal”

    Ela conta ainda que há uma hipótese considerada na psiquiatria que diz que esses sintomas de alucinações e delírios são desencadeados por uma alteração na dopamina, neurotransmissor indispensável para o funcionamento normal do cérebro.

    Os sintomas mais comuns nos casos de delírio são alucinações visuais
    Os sintomas mais comuns nos casos de delírio são alucinações visuais | Foto: Reprodução

    Valéria afirma teve pacientes que foram infectados pelo vírus e que desenvolveram sequelas mentais, mas que como não há estudos que indicam certeza da relação entre os efeitos mentais ao vírus, ela não tem como afirmar com certeza que esses pacientes tiveram essa reação pela contaminação. “Tive alguns pacientes que apresentaram sintomas psicóticos breves. Alguns pela primeira vez e outros manifestaram sintomas que já não apresentavam há anos. Teve paciente que descompensou durante a Covid-19 e como usa carbonato de lítio quando tem vômitos, diarreia, e outros sintomas, pode sair da faixa terapêutica da medicação. Temos que avaliar se tem sintomas de intoxicação, colher litemia sérica e se tiver, retirar a medicação até estabilizar o quadro clínico”, conta.

    A médica conta também que segundo um estudo da Universidade La Trobe, na Austrália, o aumento à exposição de vírus, vulnerabilidade pré-existente e estresse psicossocial podem resultar em um aumento na prevalência de psicose.

    Os cientistas analisam ainda se a pandemia pode ocasionar, a longo prazo, um surto de doenças mentais, como ocorreu entre 1920 e 1930, em decorrência da gripe espanhola. Na época, a encefalite letárgica foi a doença que mais acometeu os cidadãos. Foram identificados cerca de um milhão de pessoas com a enfermidade, que causava problemas motores e levava ao coma.

    Leia mais

    Coronavírus: não há expectativa de vacinação até 2021, diz OMS

    Justiça obriga homem a cumprir isolamento por suspeita de covid-19

    Tecido que neutraliza coronavírus é desenvolvido por pesquisadores

    Comentários