Fonte: OpenWeather

    Saúde feminina


    No Dia Mundial da Saúde, ginecologista chama atenção para cuidados

    Segundo a médica, o check-up ginecológico anual permite a detecção precoce de algumas doenças silenciosas

    Ginecologista e coordenadora adjunta do curso de Medicina do Centro Universitário Fametro, Maria Eugênia Lins Catunda | Foto: Reprodução

    MANAUS - Nesta quarta-feira (07), Dia Mundial da Saúde, a ginecologista e coordenadora adjunta do curso de Medicina do Centro Universitário Fametro, Maria Eugênia Lins Catunda, chama a atenção para a importância dos cuidados com a prevenção nas mulheres, para que possam manter uma vida saudável.

    Segundo a médica, o check-up ginecológico anual permite a detecção precoce de algumas doenças silenciosas que acometem as mulheres, como é o caso do câncer de mama e de colo de útero. Para identificá-los logo no início da doença, dois exames são fundamentais: o Papanicolau (preventivo) e a mamografia.  

    No caso do papanicolau, que serve para identificar lesões iniciais de câncer no colo do útero, a recomendação é que seja feito anualmente nas mulheres a partir do início da atividade sexual. Já a mamografia, que é realizada por meio de um equipamento semelhante a um aparelho de raio-x, tem a finalidade de detectar alterações nos seios mesmo as que ainda não são palpáveis. Este exame também precisa ser realizado anualmente pelas mulheres, a partir de 40 anos de idade. “Quando a paciente tem histórico de câncer de mama na família, o rastreio pode começar antes mesmo dessa idade”, orienta a médica.

    De acordo com Dra. Maria Eugênia, um importante aliado contra o câncer de colo de útero é a vacina HPV, que previne contra o papilomavírus humano, causador da doença. A orientação é que a vacina seja aplicada a partir dos nove anos, bem antes do início da vida sexual. A vacina tem disponível no SUS para as meninas de 9-14 anos e para os meninos de 11-14 anos. Na rede privada pode ser realizada em mulheres até os 45 anos.

    Outra doença comum e que tem afetado muitas mulheres é a candidíase. A doença é causada pelo fungo candida albicans e é bastante frequente, atingindo três em cada quatro pessoas. Entre os sintomas da candidíase estão vermelhidão na vagina, corrimento branco, dor na relação sexual e ao urinar, inchaço e coceira intensa na parte íntima.

    A médica Maria Eugênia ressalta que, por se tratar de um fungo que se prolifera em regiões úmidas e quentes, é importante usar calcinhas de algodão e evitar roupas muito justas ou molhadas, por longos períodos de tempo.

    Outras orientações importantes para a manutenção da saúde e que devem ser seguidas por todas as pessoas, independente do gênero, é manter uma alimentação equilibrada, dormir no mínimo 8h por noite e praticar exercício físico.

    *Com informações da assessoria

    Comentários