Fonte: OpenWeather

    COVID-19


    Bolsonaro recua e governo faz campanha por distanciamento e máscaras

    Presidente já havia dito, em fevereiro, que as máscaras teriam 'efeitos colaterais' e seriam 'prejudiciais à crianças', citando um suposto estudo alemão

     

    "Começam a aparecer os efeitos colaterais das máscaras", disse, depois de listar uma série de problemas supostamente causados pelas máscaras
    "Começam a aparecer os efeitos colaterais das máscaras", disse, depois de listar uma série de problemas supostamente causados pelas máscaras | Foto: REUTERS

    Brasil - Após autorização dada pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido), o Palácio do Planalto promoveu campanha a favor do uso da máscara de proteção facial e pelo distanciamento social. As mensagens foram publicadas em perfis oficiais do Planalto no Twitter e no Facebook.

    "Mesmo com a vacinação contra a covid-19 avançando cada vez mais, é muito importante continuarmos cuidando uns dos outros. Por isso, lave sempre as mãos com água e sabão ou utilize álcool em gel, evite aglomerações, mantenha o distanciamento e use máscara", diz uma das mensagens nas redes sociais.

    Segundo fontes do governo, nos últimos dias, Bolsonaro percebeu que precisava ajustar o seu discurso e autorizou a nova campanha

    Críticas constantes

    Em fevereiro, quando o Brasil registrara o maior número de mortos em decorrência da covid-19, até então, Bolsonaro optou por questionar o uso de máscaras e o isolamento social — ambos comprovadamente eficazes e recomendados por autoridades sanitárias para conter a disseminação da doença. Veja:

    | Autor:
     

    Citando um suposto estudo feito na Alemanha, sem dizer qual, Bolsonaro afirmou que as máscaras são "prejudiciais" às crianças, causando irritabilidade, dor de cabeça e dificuldade de concentração, por exemplo. O presidente evitou entrar em detalhes porque, segundo ele, "tudo deságua em crítica sobre mim", mas afirmou ter sua própria "opinião" sobre o equipamento de proteção. 

    "Começam a aparecer os efeitos colaterais das máscaras", disse, depois de listar uma série de problemas supostamente causados pelas máscaras. "Eu tenho minha opinião sobre as máscaras, cada um tem a sua, mas a gente aguarda um estudo sobre isso feito por pessoas competentes", disse ele, durante a sua live semanal, na ocasião.

    *Com informações via UOL


    Leia mais

    Amazonas é o estado do Brasil que mais compra antidepressivos

    Covid-19: governo anuncia distribuição de mais 4,4 milhões de vacinas

    De onde pode vir a próxima pandemia? Cientistas buscam respostas

    Comentários