Fonte: OpenWeather

    Plantas Amazônicas


    Pesquisador usa plantas da Amazônia para tratamentos

    Pesquisador do Inpa utiliza conhecimento dos indígenas sobre plantas medicinais para tratamentos como endometriose, cistos nos ovários, depressão e outras doenças

     

    Juan Revilla tem dedicado sua pesquisa ao tratamento de doenças com plantas amazônicas
    Juan Revilla tem dedicado sua pesquisa ao tratamento de doenças com plantas amazônicas | Foto: Hector Silva

    MANAUS - O uso de plantas como medicamento é tão antigo quanto a história da humanidade. Na cultura brasileira, famílias possuem alguma receita de remédio caseiro indicado pelas bisavós, avós, madrinhas, mães ou benzedeiras que se torna uma herança e conhecimento passado de geração para geração. Com o passar do tempo essas heranças vão sendo deixadas de lado, mas um pesquisador em Manaus tem como objetivo não deixar que essas tradições acabem, unindo o conhecimento popular à ciência.

    Uxi Amarelo, Muirapuama, unha de gato, plantas encontradas na região Amazônica, utilizadas no tratamento de algumas doenças como endometriose, depressão, e tantas outras doenças, estão sendo utilizadas também pela ciência. O pesquisador do Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia (Inpa) e doutor em Botânica Econômica Juan Revilla, de 71 anos, tem como linha de pesquisa a utilização de plantas naturais, tipicamente amazônicas, como medicamentos fitoterápicos.


    "

    A gente acredita que toda essa diversidade de plantas que nós temos na Amazônia, sempre tem um potencial e um uso. Infelizmente o maior uso que se tem dado para a Amazônia é a madeira, quando na verdade nós somos muito mais ricos em outros valores, principalmente para cosméticos e medicamentos. De todas as plantas que fomos trabalhando e de acordo também com a demanda do paciente, começamos a utilizar cerca de 20 plantas para tratamentos de doenças crônicas "

    Juan Revilla, Pesquisador

     



     

    Juan Revilla tem dedicado sua pesquisa ao tratamento de doenças com plantas amazônicas
    Juan Revilla tem dedicado sua pesquisa ao tratamento de doenças com plantas amazônicas | Foto: Hector Silva

    Revilla explica que seu interesse pelas plantas começou ainda na infância. Natural do Peru, país vizinho ao Brasil, o pesquisador cresceu cercado de plantas utilizadas para tratamento de doenças crônicas. O conhecimento veio dos seus avós e seus pais adquiriram renda com a venda das plantas para a população peruana. “Meus pais trabalhavam com plantas ornamentais, medicinais e flores. Então eu cresci nesse meio. Minha vontade não era ser biólogo, minha vontade era ser agrônomo, exatamente para melhorar o cultivo das plantas da minha família, mas quando eu cheguei na capital para me inscrever para o vestibular as inscrições já tinham sido encerradas. Então eu fui fazer biologia”.

    A primeira frente da pesquisa é sobre o levantamento das informações das plantas medicinais da Amazônia. A segunda é a orientação no uso de plantas medicinais pela população.


    "

    Antigamente nós utilizávamos apenas o chá. Hoje nós transformamos o chá em pó. A partir daí nós começamos a fabricação das cápsulas. Hoje nós temos as cápsulas feitas com unha de gato separado do uxi amarelo. Não se pode misturar. São duas plantas que devem ser consumidas separadamente. Essa transformação da matéria prima, da cápsula ao comprimido é a atual expectativa da nossa instituição, porque nós queremos que a medicina tradicional saia desse papel simplista para um manuseio moderno, tornando-se um medicamento "

    Juan Revilla, Pesquisador

     



     

    Pesquisa de Juan Revilla busca fazer medicamentos com plantas amazônicas
    Pesquisa de Juan Revilla busca fazer medicamentos com plantas amazônicas | Foto: Hector Silva

    O pesquisador já está atuando na Amazônia há 43 anos como pesquisador do Inpa, se revezando entre as cidades de Manaus e Manaquiri, há 158 quilômetros de Manaus, onde mantém uma clínica de campo para doenças crônicas, onde também planta e produz algumas plantas.

     

    Em Manaquiri, Juan Revilla mantém uma clínica de campo, onde planta e produz os produtos
    Em Manaquiri, Juan Revilla mantém uma clínica de campo, onde planta e produz os produtos | Foto: Ascom/ Inpa

    Plantas da região amazônica

    Dentre as quase vinte plantas estudadas pelo pesquisador, três possuem um grande destaque: o uxi amarelo, a unha de gato e a marapuama

    Uxi amarelo: Planta tipicamente da Amazônia Brasileira encontrada em abundância ao redor de Manaus, o Uxi Amarelo possui efeitos anti-inflamatório, antioxidante, diurético e estimulante imunológico. O pesquisador explica que o seu interesse pela planta veio de relatos da sua sogra, que o contou sobre a utilidade da planta para as mulheres.

    “Quando cheguei em Manaus, minha sogra disse que eu deveria estudar o uxi amarelo porque é muito bom para problemas de mulheres. Foi aí que eu comecei a trabalhar com o uxi amarelo observando as pessoas que usavam e seus benefícios. Hoje em dia se entende que o uxi amarelo resolve problemas de endometriose, cistos nos ovários, miomas, nódulos nos seios, também para distúrbios na tireoide e para o homem ajuda na próstata", revela.

     Unha de gato: Encontrada principalmente na Floresta Amazônica, mas também em outras regiões da América do Sul, a unha de gato começou a ser usada pelos indígenas de forma medicinal para tratamentos inflamatórios e degenerativos. É uma planta que possui registro na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

    “A unha de gato tem uma prima chamada unha de cigana, mas que não pode ser utilizada da mesma forma. Encontrei em Manacapuru pela primeira vez e hoje já observamos que ela cresce próximo de águas barrentas. Ela auxilia no tratamento de infecções, inflamações e melhora a atividade do sistema imune. Pretendemos transformá-la também em comprimidos", explica o pesquisador.

     

    Uxi Amarelo, Unha de Gato e Muirapuama podem ser encontrados em comércio para a produção de chás
    Uxi Amarelo, Unha de Gato e Muirapuama podem ser encontrados em comércio para a produção de chás | Foto: Arquivo Em Tempo


    Muirapuama:  Planta também muito encontrada na Amazônia, a muirapuama tem várias utilidades. Era utilizada por indígenas como estimulante sexual, mas hoje se sabe também que ela ajuda na circulação sanguínea, trata anemia, disfunção erétil e ajuda no combate a depressão e a ansiedade.

    “É uma planta fantástica. Os estudos da composição fito química já estão feitos. Agora estamos avaliando essas propriedades para ver de que maneira a gente pode utilizá-la melhor em diferentes problemas de saúde. E hoje um dos problemas de saúde que mais temos é a ansiedade, depressão e síndrome do pânico e a muirapuama funciona muito bem".

    Leia mais

    Cinco funções e benefícios do óleo essencial de melaleuca

    Brasil: terra de alto potencial para descoberta de espécies

    Uxi amarelo e Unha de gato usados no combate a cistos, miomas e endometriose

    Comentários